Sacha inchi (Plukenetia volubilisa)

Amendoim dos Incas

Nome cientifico: Plukenetia volubilis L.

Nome(s) Popular(es):Amêndoa-Lopo, Ticazo, Amendoim-dos-IncasFamília:Euphorbiaceae 

 

Introdução


Os Incas tinham na base de sua alimentação a ingestão de sementes e óleo da Amêndoa Lopo. 

Fonte de ácidos graxos ômega 3, 6 e 9. 

O Ômega 3 (ácido alfa linolênico), vem merecendo atenção especial nas indústrias alimentícias, cosméticas, farmacêuticas e industriais.

Sinonímia


- Fragariopsis paxii Pittier;
- Plukenetia macrostyla Ule;
- Plukenetia peruviana Müll.Arg. ;
- Sajorium volubile (L.) Baill.

Etimologia


 

TICAZO vem duma língua indígena e seu significado tem haver com o formato do fruto. Também é chamada de: Sacha Inche, Sacha inchic, Maní del monte, Sacha maní, Sacha yachi, Saca yuchiqui, Maní del Inca, Maní silvestre.

Outros idiomas


- Sacha Inchi (inca?)

Folhas alternas com pecíolo ou haste de 6 a 9 cm de comprimento, estas tem forma oval ou orbicular (em forma de circulo) com base cordiforme (semelhante ao coração) e ápice ou ponta acuminada (com ponta longa e aguda), medindo de 10 a 15 cm de comprimento por 8 a 14 cm de largura, é peninérvea, ou seja, tem nervura principal que se ramifica em nervuras secundárias, com margem serrilhada. A folha é verde escura e tem cheiro característico.

Flores

A inflorescência é um racemo (cacho semelhante a espiga) axilar (sai no encontro do pecíolo com o ramo) de 6 a 12 cm de comprimento com 5 a 17 grupos com feixes de 2 a 7 flores brancas, com e cálice (invólucro externo) com 4 sépalas ovadas (com forma de ovo), medindo 2 mm de comprimento.

Frutos

O fruto é uma cápsula tretalocular (com lojas ou cavidades), formado de 4 ou 7 aristos ou pontas como de estrelas, medindo 5 a 5 cm de diâmetro por 1,8 a 2,6 cm de altura e pesando de 6 a 11 gramas.
 

Sementes

No interior do fruto encontram-se 4 a 6 sementes marrons e circulares de 1,4 cm de diâmetro, do qual uma semente pesa cerca de 2,6 gramas.

Tipos de solo

Adaptada a solos ácidos.

Temperturas

O ideal fica em torno de -2°C min. e 35°C máx.

Forma de plantio

Plantar num espaçamento mínimo entre plantas de 4 x 4 m, onde deve ser abertas covas de 50 cm de profundidade, 40 cm de comprimento e 40 cm de largura. Os 30 cm da terra de superfície deve ser reservados e adiciona-se 300 g de calcário, mais 1 kg de cinzas e 4 a 5 pás de esterco bem curtido, misturando bem todos os componentes, deixando curtir por no mínimo 2 meses. 

Nesse período uma parreira deve ser construída com o uso de 2 ou 3 mourões ou poste de concreto que tenham 2,20 m de comprimento. Os mesmos serão fincados numa distancia de 2 m. 

As covas para se fincar os mourões devem ter 60 cm de profundidade de moto que sobre 1,60 na altura, aonde na cabeça dos mourões deve ser fixado uma travessa de madeira de 1,25 cm; de onde serão feitos furos de 30 em 30 cm para fixar arames que vão tutorar os galhos trepadores. 

Depois que os arames das bordas e centrais forem bem fixados, deve-se fazer uma malha passando arames nº 18 a 40 cm de distancia no sentido do comprimento e largura, dando uma volta ao cruzarem entre si. 

Depois de pronta a parreira, chegou a hora do plantio que deve ser feito em outubro a novembro, ocasião em que se deve fincar uma taquara que leve o cipó até a rede de arames. 

A medida que o cipó crescer esse deve ser amarado até que alcance os arames. 

Cultivo

Planta de crescimento rápido e de fácil cultivo, pois, sua raiz contém nódulos de micorrizadas que retiram o nitrogênio do ar, crescendo bem em solos argilosos, fracos, arenosos e ácidos, com pH entre 5,0 a 6,5. 

O Ticazo é extremamente adaptável às condições climáticas, suportando mínimas de até - 2º no inverno e máximas de até 35 graus no verão, vegetando bem em altitudes de 500 a 2.500 m acima do nível do mar e onde ocorra um índice de 1.200 a 2.000 mm de precipitação de chuva anual.

A planta cresce rápido, sendo necessário conduzir e amarrar num tutor até os arames, um ou 2 ramos principais, depois a própria planta vai ocupar toda a rede de arames. 

A poda de condução deve ser feita no primeiro ano de plantio, sempre eliminando os brotos ladrões que nascerem no caule principal ou aqueles que a partir dos arames estiverem crescendo para baixo em direção ao chão. 

Após 3 anos de plantio convém fazer uma poda drástica de todos os raminhos que estiverem enrolados na rede da parreira, deixando somente os ramos principais com diâmetro superior a 1,5 cm para que uma nova parreira seja formada.
 

Adubação

A adubação é feita com 4 kg de composto orgânico bem curtido + 30 gr de N-P-K 101010 nos meses de novembro e dezembro, distribuído-os a 30 cm do tronco.

Produtividade

Apresenta como principais características: rusticidade e precocidade (obtendo sua primeira colheita entre 7 e 9 meses). Boa produtividade, produzindo durante o ano todo.

Formas de Reprodução

As sementes são discos achatados que conservam o poder germinativo por mais de 1 ano. Podem ser plantadas em saquinhos individuais com diâmetro mínimo de 10 cm e altura de 22 cm, que devem ser preenchidos com substrato composto de 40% de terra vermelha de superfície, 20% de areia saibro e 40% de composto orgânico bem curtido.  O índice de germinação é de 90% e a emergência ocorre em 25 a 45 dias. Tanto na fase de plantio como na face de crescimento, os saquinhos com sementes ou mudas devem ficar em pleno sol e receber irrigação suave uma vez por dia. 

O crescimento das mudas é rápido atingindo 40 cm em 4 meses.

Princípios Ativos


Teor de óleo (%) 30,40

Composição em ácidos graxos (%m/m) em uma amostra de semente de AMENDOA LOPO.

ÁCIDO GRAXO (%)
C14:0 Mirístico 0,02
C16:0 Palmítico 4,79
C16:1 Palmitoléico 0,09
C17:0 Margárico 0,13
C17:1 Margaroléico 0,07
C18:0 Esteárico 3,54
C18:1 Oléico 12,08
C18:2 Linoléico 40,54
C18:3 Linolênico 38,33
C20:0 Araquídico 0,11
C20:1 Gadoléico 0,25
C22:0 Behênico 0,03
C24:0 Lignocérico 0,02[2]

Utilização


 

Em chácaras ou jardim a planta pode ser conduzida sobre estruturas semelhantes a quiosques com armação de arames visando uma bela cobertura natural visando produzir sombra. Também pode ser plantada em quintais de grandes cidades na beira de muros onde se pode fazer uma malha de arame para tutorar a planta dando um tom de verde a paisagem. Para utilizar os frutos se deve quebrar a casca após torrefação. As amêndoas são comestíveis apesar de ter um sabor meio amargo. As sementes prensadas produzem um óleo rico em antioxidantes e com ômegas 3, 6 e 9. 

Origem

 

Ocorre nas florestas tropicais de altitude do estado do Acre e da Amazônia, Brasil, distribuindo-se também pela Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

Habitat

A Amêndoa Lopo é uma planta originária da Amazônia Peruana.

Observações

Seu cultivo destaca-se pelo oportunismo frente ao crescente interesse do mercado consumidor para os produtos orgânicos, ricos em ômega 3 e proteínas, favorecendo o comércio e a verticalização da produção. Observa-se que o pequeno agricultor pode se adequar facilmente ao simplificado sistema produtivo da planta, obtendo renda satisfatória e criando oportunidade de trabalho com o cultivo. A busca incessante do homem por cultivo comercial de plantas que contemplem características ideal chega ao seu apogeu - Cultivo capaz de reunir geração de renda justa ao agricultor com impacto positivo ao meio ambiente. Possibilita um leque de opções à utilização e verticalização da produção.

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • b-googleplus