Carrapicho de Carneiro (Acanthospermum australe (Loefl.) Kuntze)

Carrapicho de Carneiro

Família: Asteraceae

 

Espécie: Acanthospermum australe (Loefl.) Kuntze

 

Sinônimos: Acanthospermum xanthioides DC. 

 

Nome(s) Popular(es): Carrapicho-rasteiro, carrapicho-da-praia, picão-da-prata, carrapicho-de-carneiro, cordão-de-sapo, espinho-de-carneiro, picão-da-praia, carrapicho-do-campo, mata-pasto, marôto, amor-de-negro, carrapicho-miúdo, chifrinho, pega-pega

 

Descrição:

 

Erva geralmente perene com caules rastejantes de 10-60 cm de comprimento, pode formar densas touceiras. Os caules jovens são verdes e pilosos, enquanto os ramos velhos podem tornar-se lenhosos. Folhas opostas 1,4 cm de comprimento por 0,5-3 cm de largura são suportadas por caules curtos; margens abruptamente denteadas e pontiagudas. As folhas são recobertas por inúmeras pequenas pontoações e esparsamente recobertas por tricomas adpressos. Capítulos discretos, produzidos individualmente nas forquilhas das folhas superiores, As inflorescências são rodeadas por duas fileira de 5, raramente 4 ou 6 brácteas verdes, as brácteas exteriores são diminutas, 1-2 mm de comprimento, enquanto as interiores possuem mais de 10 mm de comprimento. Cada capítulo possui dois tipos diferentes de flores, as cinco flores externas são pistiladas, enquanto as 5-10 flores internas são estaminadas e de coloração esbranquiçada. Os frutos são estriadas, e repletos de rebarbas 7-9 mm de comprimento, formato oval ou fusiforme e recoberto por espinhos com ganchos.

 

Hábitos, ecologia: 

 

Planta que cresce em áreas abertas, sendo uma erva invasora de algumas culturas e pastagens. As inflorescências possuem poucos capítulos branco-amarelados, polinizados por abelhas, e os frutos são dispersos por mamíferos que transitam na área, e acabam encostando nos frutos, que ficam aderidos ao pelo. Floração abundante durante o verão.

 

Usos: Medicinal: Empregada na medicinal tradicional como chás por infusão ou decocção, utilizada como tônica, diaforética, eupéptica, vermífuga, antidiarreica, antimalárica, aromática, antiblenorrágica, febrífuga, e antianêmica. Ainda pode ser utilizada externamente na forma de banho contra dores lombares, renais, ou nos membros, úlceras, feridas e micoses (LORENZI & MATOS, 2002). Segundo BARCELOS et al. (2011), extratos da planta exerceram atividade antimicrobiana significativa frente infecções causadas por S. aureus.

 

"Malefícios":

 

É uma planta amplamente conhecida por infestar cultivos, pastagens, hortas e canteiros.

 

Referências:

 

BARCELOS et al. Acanthospermum australe (Loerfl.) O. Kuntze: CONSTITUINTES FITOQUÍMICOS E ENSAIO in vitro DA ATIVIDADE FITOPATOGÊNICA. ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, Centro Científico Conhecer - Goiânia, vol.7, N.13; 2011

 

LORENZI, H.; MATOS, F.J.A. Plantas medicinais do Brasil: nativas e exóticas. Instituto Plantarum, Nova Odessa, SP, p.512, 2002. 

 

Mondin, C.A. 2011. Acanthospermum in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2011/FB103231).

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • b-googleplus