ERVA DE BICHO (Polygonum hydropiperoides Pursh)

Polygonum hydropiperoides Pursh

Polygonum acuminatum   Kunth.

Polygonum persicaria L.

ERVA DE BICHO

 

Nome científico: Polygonum acre HBK.

 

Sinonímia Científica: Polygonum hydropiperoides Pursh; Polygonum acuminatum Bello; Polygonum puntactum Elliot.

 

Nome popular: Erva de bicho, acataya, caataiá, capetiçoba, capiçoba, capitiçoba, capitiçova, persicaria, pimenta-d’-água, pimenta do brejo, curage, no Brasil; Caátai, no Paraguai; Chileperro, na Costa Rica; Plumerillo Del Campo, na argentina; Water smartweed e water pepper, em inglês; Yerba de Hicotea, em Cuba; Poivrée e piment d’au, na França; Bitterknoeterich, na Alemanha. Família: Polygonaceae. Parte Utilizada: Caule e folha.

 

Composição Química: Óleo Essencial; Ácidos Gálicos e Malônico; Taninos; Nitrato de Potássio

Trata-se de uma herbácea perene, de tamanho variável, originária da Ásia e comum em vários lugares do mundo. A Erva de bicho apresenta caule glabro, ramoso e quase simples, enraizando-se na base, nodoso e com os internódios avermelhados. As folhas são alternas, subsésseis, lanceolado-acuminadas, glabras, verde-escuras, com glândulas pelúcidas punctuadas e amargas. As flores são pequenas, de coloração branca ou rosada, dispostas em espiga terminal, longa, fina e flexível. O fruto-semente é um aquênio triangular pequeno e liso.

A Erva de bicho pode ser encontrada em lugares úmidos ou inundados, desenvolvendo-se preferencialmente em solo de boa fertilidade, areno-argiloso ou argiloso e com bom teor de matéria orgânica, originária da Ásia e encontra-se aclimatada no Brasil em todos os Estados, particularmente no Rio Grande do Sul, Sul e Sudeste.

 

Indicações e Ação Farmacológica: Adstringente, estimulante, febrífuga, diurética, vermicida, anti-gonorréica, antihemorroidária, tratamento das úlceras varicosas, da erisipela, fístulas anal, e purgativa. Combate também dores reumáticas, artríticas, blenorragias, diarréias com sangue, febres perniciosas, congestões cerebrais, dificuldades de raciocínio. Promove um efeito hemostático anti-inflamatório,

 

Em Homeopatia é específico das hemorroidas, principalmente quando existe hemorragia, varizes, cólicas flatulentas, úlceras superficiais dos membros inferiores. Os glucosídeos, princípios ativos da erva de bicho, são capazes de favorecer ou acelerar a coagulação do sangue exercendo também ação sobre sua viscosidade. A Erva de bicho estimula a circulação e diminui a fragilidade capilar, tendo efeito hemostático, bastante útil no tratamento de hemorroidas. Exerce uma ação diurética, sendo útil nos casos de retenção urinária, bem como nos casos de afeções urinárias.

 

Toxicidade/Contraindicações: Por apresentar um efeito emenagogo (aumento do fluxo menstrual) e abortivo, esta espécie não deve ser administrada durante a gravidez. Contraindicada para crianças e gestantes.

Dosagem e Modo de Usar

- Rasura: 2,5g para cada 250 mL de água, uma a duas vezes ao dia;

- Tintura (1:5): de 5 a 30 mL por dia;

- Pó: 500mg, até três vezes ao dia.

 

Referências Bibliográficas

 

CAIRO, N. Guia de Medicina Homeopática. 21ª edição. Livraria Teixeira. 1983. COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ª edição. Cejup. 1994.

 

CORRÊA, M. P. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil. IBDF. 1984. PANIZZA, S. Plantas que Curam (Cheiro de Mato). 7ª edição. 1997.

 

SOARES, A. D. Dicionário de Medicamentos Homeopáticos. 1ª edição. Santos Livraria Editora. 2000.

 

TESKE, Madrid; TRENTINI, A. M. M;. Herbarium compêndio de fitoterapia. 3 ed. Curitiba; 1994.

 

VIEIRA, L.S. Fitoterapia da Amazônia. Editora Agronômica Ceres. São Paulo. 1992.

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • b-googleplus