Fáfia (Pfaffia glomerata)

Pfaffia paniculata (Mart.) Kuntze
Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen

Ginseng brasileiro

Nome científico: Pfaffia glomerata (Spreng.) Pedersen. 

Família: Amaranthaceae. 

Sinônimos botânicos: Alternanthera glauca Griseb., Gomphrena dunaliana Moq., Gomphrena glauca (Mart.) Moq., Gomphrena luzulaeflora (Mart.) Moq., Gomphrena stenophylla Spreng., Iresine glomerata Spreng., Mogiphanes dunaliana (Moq.) Gris., Mogiphanes glauca (Mart.) Gris., Pfaffia dunaliana (Moq.) Schinz, Pfaffia glauca (Mart.) Spreng., Pfaffia iresinoides var. angustifolia Stutzer, Pfaffia luzulaeflora (Mart.) D. Dietr., Pfaffia stenophylla (Spreng.) Stuchlik, Sertuernera glauca Mart., Sertuernera luzulaeflora Mart. 

Outros nomes populares: corrente, paratudo, ginseng-do-brasil, pfáffia, Carango-sempre-viva, corango-sempre-viva. 

Constituintes químicos: Rubrosterone, ácido oleanólico, b-glucopiranosil oleanolato, saponinas, ácido pfáfico (inibidor de tumores e células malignas), ecdisterona, alantoína (cicatrizante), estigmasterol, germânio (oxigenação celular), sitolesterol, e b-ecdisona. 

Propriedades medicinais: afrodisíaca, analgésica, ansiolítica, anticancerígena, antidiabética, antiinflamatória, antimicrobiana, antioxidante, anti-reumática, antitérmica, antitumoral, aperiente, cicatrizante, estimulante da circulação periférica, estimulante do sistema linfático, hipocolesterolêmica, imunoestimulante, leucocitogênico, miorrelaxante, rejuvenescedora, revitalizante, tranqüilizante, tônica geral, vulnerária. 

Indicações: afecção hepática, anemia, arteriosclerose, artrite, artrose, ativar a memória, aumentar a força muscular, circulação, circulação periférica, colesterol, diabete, diminuir tremores nas pessoas idosas, dor, esgotamento, estimular a força muscular, estimular a oxigenação celular e a circulação coronariana, estimular o apetite, estresse, estrias, fadiga física e intelectual, favorecer a produção do estrogênio, febre, flacidez da pele, hemorróidas, inflamação, inibir o crescimento de células tumorais, irregularidades circulatórias, labirintite, leucemia, moléstias do aparelho digestivo, tumor do sarcoma, varizes. 

Parte utilizada: raízes, folhas. 

Contra-indicações/cuidados: não encontrados na literatura consultada. 

Efeitos colaterais: não encontrados na literatura consultada. 

Modo de usar: 


- Decocção: 10 g da raiz em 1 litro de água. Tomar 2 xícaras 1 vez ao dia; 
- Cápsulas: tomar 1 cápsula a cada 6 horas; 
- Pó: picar a raiz, desidratar, secar, moer e misturar 1 colher das de sobremesa do pó com leite. Tomar 2 a 3 vezes ao dia (tônico geral); 
- Extrato hidroalcoólico: 3 colheres das de sopa do pó em 100 ml de álcool de cereais a 70 graus e 50 ml de água destilada. Macerar por 5 dias. Coar e tomar 1 colher das de café diluída em água, 2 a 3 vezes ao dia (estimulante); 
- Ungüento: misturar 1 colher das de chá do pó ou 1 colher das de sopa do extrato hidroalcoólico em 3 colheres de vaselina. Aplicar topicamente em ferimentos como cicatrizante. 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


 

Côrtes, Janner Rangel, Ayurveda: a ciência da longa vida São Paulo: Madras, 2008.

Williamson, Elisaberth. Interações medicamentosas de Stockley: plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos; Porto alegre: Artmed, 2012. 440p; 25cm.

 

ALBUQUERQUE, J.M. Plantas medicinais: de uso popular. Brasília: ABEAS. 96p. 1989 (Programa Agricultura nos Trópicos, v.6).


ALMEIDA, E. R. de. Plantas medicinais brasileiras: conhecimentos populares e científicos. São Paulo: Hemus Editora Ltda., 1993. 341p.


ALZUGARAY, D.; AZULGARAY, C. Enciclopédia das plantas que curam: a natureza a serviço de sua saúde. 2v. São Paulo, 1996. 500p.


AMOROZO, M. C. de M. Algumas notas adicionais sobre o emprego de plantas e outros produtos com fins terapêuticos pela população cabocla do município de Barcarena, PA, Brasil. Bol. Mus. Paraense Emílio Goeldi, Sér. Bot., Belém, 9(2): 249 – 265, 1993.


AMOROZO, M. C. de M. e GÉLY, A. Uso de plantas medicinais por caboclos do baixo amazonas, Barcarena, PA, Brasil. Bol. Mus. Paraense Emílio Goeldi, Sér. Bot., Belém, 4(1): 47 – 131, 1988.


BALBACH, A. A Flora Nacional na Medicina, 23ed. São Paulo: A Edificação do Lar. v.III. 1967, 917p.


BALBACH, A. As plantas curam. 1ed., ver./mod. São Paulo: Vida Plena. 1995, 415p.


BERG, M.E.V.D. Aspectos botânicos do culto afro-brasileiro da casa das minas do maranhão. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Botânica. Belém, 7(2): 485 - 498, 1991.


BERG, M. E.V.D. Plantas de origem africana de valor sócio-econômico atual na região amazônica e no meio-norte do Brasil. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Botânica. Belém, 7(2): 499-510, 1991.

 

BERG, M.E.V.D. Plantas medicinais na amazônia: contribuição ao seu conhecimento sistemático. Belém: Museu. Paraense Emílio Goeldi, 1993, 207 p.


CARIBÉ, J.; CAMPOS, J.M. Plantas que ajudam o homem. Cultrix / Pensamento Ed. 1991. 321p.


CASTRO, L.O. de Plantas Medicinais, condimentares e aromáticas: descrição e cultivo. Guaíba: Agropecuária, 1995. 196p.
COIMBRA, R. Manual de Fitoterapia. 2ed. Belém: CEJUP, 1994. 335p.


CORRÊA JÚNIOR, C.; Ming, L.C.; Scheffer, M.C. Cultivo de plantas medicinais, condimentares e aromáticas. 2a.ed. Jaboticabal, FUNEP, 1994. 151p.


CRUZ, G.L. Dicionário das plantas úteis do Brasil. 4a.ed. Rio de Janeiro: Ed. Beltrand Brasil S.A. 1964. 599p.


DINIZ, M.F.F.M.; OLIVEIRA,R.A.G.; MEDEIROS, A.C.D. e MALTA JÚNIOR, A. Memento fitoterápico: as plantas como alternativa terapêutica – aspectos populares e científicos. UFPB, Ed. 1997. 201p.


FRANCO, L.L. As sensacionais 50 plantas medicinais campeãs de poder curativo. O Naturalista Ed. 1997. 241p.


LOBATO, A. M. Fitoterapia. Belém: Gráfica e Editora Amazônia, 1997. 123p.


MAIA, J.G. et al. Espécies de Piper da Amazonia ricas em safrol. Quimica Nova, Sao Paulo. 10(3):200-204, 1987.


MAIA, J.G; GREEN, C.L.; MILCHARD, M.J. New sources of natural safrole. Perfumer & Flavorist, vol. 18, 1993.


MARTINS, E.R.; CASTRO, D.M. de; CASTELLANI, D.C.; DIAS, J.E. Plantas medicinais. Viçosa: UFV, impr. Univ., 1994.219p.


MARTINS, J.E.C. Plantas medicinais de uso na Amazônia. 2ed. Belém: CEJUP, 1989.


MORGAN, R. Enciclopédia das Ervas e Plantas Medicinais. Hemus, Ed. 1997. 555p.


OLIVEIRA, F. de; AKISSUE, G. ; AKISSUE, M.K. Farmacognosia. São Paulo: Atheneu, 412p. 1991.


OLIVEIRA, F. de; AKISSUE, G. Fundamentos de farmacobotânica. Rio de Janeiro: Livraria Atheneu Editora, 1989. 222p.


PANIZZA, S. Plantas que curam – cheiro de mato. IBRASA. Ed. 1998.279p.


PIMENTEL, A.A.M.P. Cultivo de plantas medicinais na Amazônia. Belém: FCAP,


Serviço de Documentação e Informação, 1994. 114p.


PIMENTEL, A.A.M.P. Cultivo de plantas medicinais na Amazônia. Belém: FCAP, Serviço de Documentação e Informação, 114p. 1994.


RIGUEIRO, M.P. Plantas que curam. Paulus, Ed.1992. 183p.


SANTIAGO, E.J.A. de. Aspectos anatômicos e do crescimento da pimenta longa (Piper hispidinervium C.DC.) em condições in vitro e in vivo. Lavras: UFLA, 1999.118p. (Dissertação – Mestrado em Fitotecnia).


SANTOS, C.A.M.; TORRES, R.K.; LEONART, R. Plantas medicinais. Ilustrações Flávio Mariano Filho – São Paulo: Ícone, 1988.


SILVA JÚNIOR, A.A.; VIZZOTTO, V.J.; GIORGI, E.; MACEDO, S.G.; MARQUES, L.F. Plantas medicinais, caracterização e cultivo. Florianópolis: EPAGRI, `994. 71p. (EPAGRI. Boletim Técnico, 68).


SILVA, I.; FRANCO, L.S.; MOLINARI, S.L.; CONEGERO, C.I.; MIRANDA NETO, M.H.; CARDOSO, M.L.C.; SANT’ANA, D.M.G. e IWANKO, N.S. NOÇÕES SOBRE O ORGANISMO HUMANO E UTILIZAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS. Assoeste, Ed. 1995. 203p. EDITORA – UFLA/FAEPE – Compêndio de 208 Plantas Medicinais

 

TESKE, M.; TRENTINI, A.M.M. Compêndio de Fitoterapia. Herbarium Laboratório Botânico, Curitiba, PR. 1995.317p.


VIEIRA, L.S. Fitoterapia da Amazônia: Manual de Plantas Medicinais (a Farmácia de Deus). 2a.ed. São Paulo. Agronômica Ceres, 1992. 347p.


VON HERTWIG, I.F. Plantas aromáticas e medicinais: Plantio, colheita, secagem e comercialização; 2a. ed.; São Paulo: Icome, 1991.

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook ícone social
  • b-googleplus
Carqueja