Gengibre (Zingiber officinale Roscoe)

Gengibre

Nome científico: Zingiber officinale Roscoe.

 

Família: Zingiberaceae.

 

Nomes populares: Mangarataia, mangaratiá, gengivre.

 

Origem: Ásia Tropical. Hábito: Herbácea anual.

 

Descrição botânica: Planta herbácea podendo atingir 1,50 m de altura, de caule articulado, rizoma horizontal, comprido lateralmente, com ramificações situadas num mesmo plano, digitiformes (mão de gengibre), no vértice das quais se encontram cicatrizes do caule foliáceo; de 14 a 16 cm de comprimento por 4 a 20 mm de espessura. Folhas ordenadas em duas séries (dísticas), com bainha amplexicaule e flores amarelo-esverdeadas em espigas fusiformes. O fruto é uma cápsula trilocular que se fende em três válvulas; as sementes são azuladas e contêm um albúmem carnoso. O rizoma é geralmente articulado formado por tubérculos ovóides, rugosos e prensados uns contra os outros. Cultivo: Há diversas variedades de gengibre popularmente conhecidas: branca, azul e amarela. Adapta-se bem em climas tropical e subtropical, mas tem se adaptado também em regiões mais frias. Desenvolve-se bem em terrenos arenosos, leves, bem drenados e férteis. Contudo não deve ser cultivado seguidamente no mesmo lugar, pois sofre queda acentuada de produção. Propaga-se através de gomos, que são pedaços de rizoma, com 1 a 2 brotos. Após um mês, as mudas estão prontas para serem transplantadas para local definitivo, com espaçamento de 0,7 x 0,3 m. É uma planta exigente em nutrientes e prefere pH em torno de 5,5. Após 10 a 12 meses de plantio colhem-se os novos rizomas.

 

Constituintes químicos: Óleos essenciais (gigerona, zingibereno, falandreno, canfeno, cineol, broneol e citral) e carboidratos.

 

Parte da planta para uso: Rizoma (raiz).

 

Indicação: É indicado em casos de cólicas, dores de garganta, resfriados, náusea e enjôos em geral, gripe, bronquite, rouquidão, asma, reumatismo.

 

Formas de uso: Decocção, infusão, pó, extrato fluído, tintura, xarope e alcoolato.

 

Modo de usar

a) Reumatismo – Preparar um cataplasma com gengibre moído ou ralado num pano e colocar no local afetado; preparar uma tintura de 100 g de rizoma moído em ½ litro de álcool, fazer fricções na área afetada.

 

b) Rouquidão – Mascar um pedaço de rizoma fresco.

 

c) Estomacal e tônico – Preparar uma tintura de uma parte de pó de gengibre para 5 partes de álcool a 80°, macerado durante 20 dias em um recipiente fechado. Coar e tomar 5 a 10 gotas em um pouco de água açucarada depois das refeições.

 

d) Gripe e resfriados – Preparar um chá por decocção com 1 colher de raiz triturada de gengibre, 1 colher de hortelãzinho (Mentha piperita) e casca de 1 limão em ½ litro de água; tomar 4 xícaras de chá ao dia.

 

e) Bronquite – Ferver durante 30 minutos em 1 litro de água, 40 g de pó de raiz de gengibre, 650 g de açúcar, 32 g de mel de abelha, 36 g de suco de limão e 3 litros de água: deixar esfriar, adicionar uma clara de ovo batida e 1 g de essência de limão. Coar, engarrafar e depois de 4 dias começar a tomar. Outros comentários: O gengibre comercialmente além de ser usado para remédio, é usado como condimento no preparo de bebidas (quentão de festas juninas) e perfumaria. Sua produção alcança um preço bom no mercado. A produção por hectare pode atingir 15 toneladas do produto fresco e 3 toneladas do produto seco. A nível artesanal e local são fabricadas balas de gengibre para afecções da garganta e tosse.

Regerências bibliográficas

 

BLANCO, M.C.G. Cultivo comunitário de plantas medicinais. Campinas: CATI, 2000. 36p. il. 21,5cm. (Instrução Prática, 267).

 

DI STASI l. C.; SANTOS, E.M.G.; SANTOS, C.M. dos; HIRUMA, C.A. Plantas medicinais na Amazônia. São Paulo: Editora Universidade Paulista. 1989. 193p.

 

PINTO, J.E. B.P.; SANTIAGO, E.J.A. de. Compêndio de plantas medicinais. Lavras: UFLA/FAEPE, 2000. 205 p.

 

VIEIRA, L.S. Fitoterapia da Amazônia: Manual de Plantas Medicinais (a Farmácia de Deus). 2. ed. São Paulo: Agronômica Ceres, 1992. 347p. Este folder faz parte da série "Plantas Medicinais", do Subprojeto Instalação de horto-matriz de plantas medicinais em Porto Velho, Rondônia. Maiores informações na Embrapa Rondônia.

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • b-googleplus