Hortelã (Mentha piperita L.)

Hortelã

Família: Lamiaceae (Labiatae)


Nome Científico: Mentha piperita L.


Sinonímia Vulgar: Hortelã-pimenta, sândalo, hortelã-inglesa.

 

Descrição: Origina-se do Oriente; é uma planta herbácea e vivaz, de caule quadrangular, ereto, pouco pubescente, de 40 a 60 cm de altura. Folhas opostas, simples, pecioladas, lanceoladas, retorcidas, um pouco arredondadas na base, agudas, denteadas ou serreadas, verde-escuras na face superior e verde-pálidas na inferior, ligeiramente aveludadas nas nervuras inferiores. As folhas inferiores têm de 5 a 8 cm de comprimento por 2 cm de largura, diminuindo de tamanho, à medida que se aproximam do ápice do caule. Flores andróginas, purpúreas, dispostas no ápice dos ramos, em espigas laxas, cônicas, agudas e opostas. As espigas inferiores são espaçadas umas das outras, ao passo que as superiores são muito próximas e
sempre acompanhadas de brácteas foliáceas. Flores semelhantes às das Labiadas. Odor forte, aromático e característico. Multiplica-se por estolões enraizados, ponteiras ou desdobramento de touceiras de uma planta adulta, sendo de fácil cultivo, mas prefere solos ricos em matéria orgânica, bem drenados e a pleno sol.


Partes Usadas: Folha ou sumidade florida.

Ayuveda: Com natureza sátvica, auxilia no alívio das tensões mentais e emocionais.

Aspectos energéticos: Sabor (rasa): picante.

                                           Efeito energético (virya): frio

                                           Efeito pós-digestiva (vipak): picante

Atuação dos Doshas: Vatta: aumenta, excesso.

                                         Pitta: equilibra

                                         Kapha: equilibra.

Revisão das Interações: Alimentos e antiácidos podem comprometer o recobrimento entérico de algumas cápsulas de óleo de hortelã-pimenta disponíveis comercialmente. O óleo da hortelã-pimenta parece aumentar os níveis de ciclosporina e felodipina e topicamente, em altas doses, pode também melhorar a permeação cutânea de alguns medicamentos tópicos. O chá da hortelã-pimenta contém constituintes semelhantes à digoxina, mas a relevância clinica disso é incerta.


Formas Farmacêuticas: Infuso, decocto ou bala.


Emprego: Antiespasmódico, carminativo, estomacal, estimulante, vermífugo. Como especialidade farmacêutica, faz parte da constituição de dentifrícios, pomadas e linimentos, pós e pastilhas. O infuso ou decocto a 2%, tomar de 2 a 3 xícaras ao dia; o extrato fluido, de 1 a 4 ml ao dia; a essência pura, de 1 a 3 gotas ao dia.


Constituição Química: Piperitone, α-mentona, mentofurano, metilacelato, pulejona, cineol, limoneno, jasmone, princípio amargo, vitaminas C e D, nicotinamida, terpenos, cetonas, taninos, sesquiterpenos: cariofileno e bisabolol. Flavonoides: mentosida, isoroifolina, luteolina. Óleo essencial: mentol, ácidos p-cumarínicos, perúlico, cafeico, rosmarínico clorogênicos e outros. Outros constituintes: carotenoides, colina, betaina e minerais.


Interações Medicamentosas e Associações: Em conjunto com a camomila, pode aumentar a atividade antiespasmódica, recomendada para lactentes e crianças. Pode ser associado, ainda, ao sabugueiro e ao mil-em-rama. A hortelã pode aumentar os níveis de várias drogas no sangue, devido à inibição do metabolismo de diversas enzimas das quais as drogas são substratos, como tilenol, varfarina e aldol.


Contraindicação: Gravidez, devido a seu potencial efeito emenagogo. O mentol em crianças de pouca idade e lactentes pode levar à dispneia e asfixia. O óleo essencial não deve ser inalado ou aplicado na área facial ou nariz de bebês ou crianças pequenas, pois o mentol pode causar o espasmo da glote. A essência irrita a mucosa ocular e conjuntiva em pessoas sensíveis e nelas pode ainda provocar insônia.

 

É contraindicado o uso para pessoas que possuem cálculos biliares, ou em hérnia de hiato e refluxos ácidos, devido ao efeito relaxante no esfíncter do esôfago.


Toxicidade: Resposta alérgica, dermatite, úlceras na boca, perturbações gastrintestinais, dor de cabeça, rubor, azia. É seguro usá-la como tempero, óleo, extrato e óleo-resina.

Referências Bibliográficas

 

Côrtes, Janner Rangel, Ayurveda: a ciência da longa vida São Paulo: Madras, 2008.

Williamson, Elisaberth. Interações medicamentosas de Stockley: plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos; Porto alegre: Artmed, 2012. 440p; 25cm.

BARBOSA, J.M.; AGUIAR, I.B.; SANTOS, S.R.G. dos. Maturação de sementes de Copaifera langsdorfii Desf. In: Congresso nacional sobre essências nativas, 1992, São Paulo. Anais. São Paulo: Instituto Florestal, 1992. p.665-674. Publicado na Revista do Instituto Florestal, v.4, parte 3, edição especial, 1992.

BORGES, EEL; BORGES, RCG; CANDIDO, JF; GOMES, JM. Comparação de métodos de quebra de dormência em sementes de copaíba. Rev. Bras.de Sementes, vol. 04, nº1, p.09-12, 1982. Disponível na internet no site: http://www.abrates.org.br/revista/artigos/1982/v4n1/artigo01.pdf dia 20 de março de 2008.

BEZERRA, AME; MEDEIROS-FILHO, S; MOREIRA, MG; MOREIRA FGC; ALVES, TTLA Germinação e desenvolvimento de plântulas de copaíba em função do tamanho e da imersão da semente em ácido sulfúrico. Rev. C. Agronômica, Vol. 33, N. 2. 2002. Disponível na internet no site: ccarevista.cnpat.embrapa.br/site/down.php?arq=13rca33-2.pdf dia 20 de março de 2008.

CARVALHO, PER. Espécies Florestais Brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Colombo-PR: EMBRAPA/CNPF, 2003.

 

CAVALCANTI, BC; COSTA-LOTUFO, LV; MORAES, MO; BURBANO, RR; SILVEIRA, ER; CUNHA, KMA; RAO, VSN; MOURA,DJ; ROSA, RM; HENRIQUES, JAP; PESSOA C. Genotoxicity evaluation of kaurenoic acid, a bioactive diterpenoid present in Copaiba oil Food and Chemical Toxicology, V.44, issue 3. 2006.

COSTA-LOTUFO, L V; CUNHA, G M A; FARIAS, P A M; VIANA, G S B; CUNHA, K M A; PESSOA, C; MORAES, M O; SILVEIRA, E R; GRAMOSA, N V; RAO, V S N. The cytotoxic and embryotoxic effects of kaurenoic acid, a diterpene isolated from Copaifera langsdorffii oleo-resin. Toxicon, V. 40, Issue 8. 2002.

CRESTANA, C.M.S. & BELTRATI, C.M. Morfologia e anatomia das sementes de Copaifera langsdorffii Desf. (Leg.-Caesalpinioideae). Naturalia 13:45-54. 1988.

FERREIRA, L.P.; PRADO, C.H.B.A.; MONTEIRO, J.A.F.; RONQUIM, C. Germinação de sementes de Copaifera langsdorffii após cinco anos de estocagem sob refrigeração doméstica. In: Congresso brasileiro de fisiologia vegetal, 8., Ilhéus, 2001. Resumos. Ilhéus: SBFV, 2001.

FREITAS, CRISTIANE V.; OLIVEIRA, PAULO E. Biologia reprodutiva de Copaifera langsdorffii Desf. (Leguminosae, Caesalpinioideae). Rev. bras. Bot., Sept. 2002, vol.25, no.3, p.311-321. Disponível na internet no site: http://www.scielo.br/pdf/rbb/v25n3/a07v25n3.pdf dia 20 de março de 2008.

KAGEYAMA, P.Y.; BIELLA, L.C.; PALERMO JUNIOR, A. Plantações mistas com espécies nativas com fins de proteção a reservatórios. In: Congresso florestal brasileiro, 6., 1990, Campos do Jordão. Anais. São Paulo: Sociedade Brasileira de Silvicultura, 1990. v.1, p.109-112. Publicado na Silvicultura, n.42, 1990.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: Manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. v.1, 3ª ed. Nova Odessa. Editora Plantarum, 352p, 2000.

RAIN TREE Nutrition. Copaiba oil. Site: http://www.rain-tree.com/copaiba-oil.htm 2008

PAIVA, L A F; GURGEL, L A; SILVA, R M; TOMÉ, A R; GRAMOSA, N V; SILVEIRA, E. R; SANTOS, F A N; RAO, V S. Anti-inflammatory effect of kaurenoic acid, a diterpene from Copaifera langsdorffii on acetic acid-induced colitis in rats. Vasc. Pharm., V.39, Issue 6. 2002.

PAIVA, L A F; RAO, V S N; GRAMOSA, N V; SILVEIRA, E R. Gastroprotective effect of Copaifera langsdorffii oleo-resin on experimental gastric ulcer models in rats J. Ethnopharm., V. 62, Issue 1. 1998.

SALGADO, MAS; REZENDE, AV; FELFILI, JM; FRANCO, AC; SOUSA-SILVA, JC. Crescimento e repartição de biomassa em plântulas de Copaifera langsdorffii Desf. submetidas a diferentes níveis de sombreamento em viveiro. Bras. Florestal, N. 70. 2001. Disponível na internet no site: dia 20 de março de 2008.

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • LinkedIn ícone social
  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook ícone social
  • b-googleplus