MIL FOLHAS (Achillea millefolium L.)

MIL FOLHAS


Família: Asteraceae (Compositae)


Sinonímia: Mil-em-rama, milefólio, mil-folhada, erva-do-carpinteiro, alevante, aquiléa, erva de cortadura, erva dos carreteiros, pronto alívio Origem: Europa.


Descrição: Planta que possui rizoma rastejante e haste reta e pubescente. Os caules aéreos alcançam até 60 a 80 cm de altura. Folhas longas, estreitas e verdebrilhantes, subdividem-se em numerosos segmentos lineares bem finos, razão pela qual a chamam de mil-folhas. As flores, pequenas, brancas ou rosadas, reúnem-se em umbelas terminais e exalam um perfume intenso. Produz frutos pequenos e duros de sabor picante e amargo. É uma planta de clima subtropical a temperado.


Exige luz e calor para a produção dos óleos essenciais. Tolera climas secos, mas não tolera solo encharcado. Prefere solos com pH 6 a 6,3 e altos níveis de nitrogênio e fósforo. O teor de óleos essenciais varia de acordo com a parte da planta, as flores apresentam maior teor de óleo essencial, depois as folhas e caules.


Espaçamento entre linhas é de 0,50 a 0,70cm e entre plantas de 0,30 a 0,40cm.


Uso farmaco-terapêutica: Dores, hemorróidas, fissuras anais, cálculo renal.


Propagação: Por divisão de touceiras, por rizomas e por sementes (devem ser importadas, não produz sementes no Brasil).


Parte utilizada: Partes aéreas.


Constituintes químicos principais: óleo essencial(até 1,4%): Cineol e proazuleno, flavonóides (apigenina, luteolina, artemetina, rutina), mucilagens, taninos, cumarinas, bataínas, ácidos clorogênicos, heterosídeo cianogenético.


Formas farmacêuticas habituais: Infusão, Decocção.


Indicação, Preparo e Posologia: Na culinária pode ser consumida crua, picada, em saladas ou como acompanhamento de pão e manteiga. Para fins medicinais utilizam-se nos seguintes casos: tumores, feridas, golpes, contusões, queimaduras, afecções da pele, sarna, psoríase, eczema, manchas, antiinflamatória, antiséptica, antiespasmódica, anticaspa.


Uso interno: erva seca 2 a 4 g três vezes ao dia. Infuso 10 a 15g da erva em 1 litro de água, tomar 3 xícaras ao dia. Uso externo: pomadas antireumáticas.

 

Observação: é empregada na indústria alimentícia, como ingrediente básico na fabricação de licores e aromatizantes. O cineol – ação antiséptica e proazuleno – ação adstringente.

Esta planta medicinal é também muito ornamental por causa de suas flores brancas e folhas finamente recortadas, o que justifica seu nome. É usada desde os tempos mais remotos até hoje. Além de mil folhas é chamada ainda mil-em-rama, mil-folhada e milefólio. Seu nome científico é Achillea millefolium, da família Compositae. Achillea vem das lendas ligadas ao herói grego Aquiles, que teria curado com ela as feridas do rei Telefo, dos seus soldados e o seu próprio calcanhar. Uma lenda mais fantasiosa diz que sua mãe o mergulhou num banho de mil folhas para o tornar invulnerável a ferimentos. Como ela o segurou pelo calcanhar, este se tornou seu ponto fraco. Sua fama de curar feridas lhe deu outros nomes, como erva-dos-militares, erva-do-bom-Deus, erva-de-São-João e salvação-do-mundo, isto porque, ainda segundo uma lenda, quando São José, carpinteiro, se feriu, o menino Jesus foi buscar uma planta para curá-lo, e esta planta era a mil-folhas. Conforme diz um livro atual “é uma planta medicinal por excelência e possui qualidades antissépticas fantásticas. Com ela não existe infecção e poderia ser chamada de iodo ou mercúrio-cromo da natureza. Suas folhas e flores são consideradas tônico digestivo, remédio contra cálculos renais, calmante cardíaco, enfim no uso interno é um verdadeiro cura-tudo.

 

No uso externo, como se viu antes, desde Aquiles vem curando toda a sorte de ferimentos, úlceras, contusões, hemorragias do nariz e hemorroidas”.
Em resumo, ela merece realmente seu nome mais recente, pronto-alívio, porque cura ferimentos, estanca hemorragias, alivia dores (de dente, por exemplo), combate gripes e resfriados, é um tônico digestivo, abaixa a febre, é útil nos transtornos urinários e problemas menstruais. E existem ainda outros usos para a mil-folhas. Com ela se faz um vinho e também um licor. Nos meios rurais é utilizada não só devido às suas numerosas  propriedades medicinais, mas ainda para conservar o vinho, introduzindo no tonel um pequeno saco com sementes. 

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • b-googleplus