Tanacetum - (Tanacetum parthenium L. Sch. Bip)

Tanacetum

Nome científico: Tanacetum parthenium

Sinonímia Científica: Chrysanthemum parthenium L. Bern.

Nome popular: N/A

 

Família: Asteraceae

Parte Utilizada:Folha

Composição Química: Sesquiterpenos lactonas; Sendo o partenolídeo o principal e considerado o constituinte ativo primário. (Padronizado à 0,8% de Partenolídeo).

Tanacetum parthenium é uma planta medicinal nativa no Sudeste Europeu e Ásia Menor, utilizada na profilaxia da enxaqueca, é cultivada como planta anual, fortemente aromática, tem caule vertical e ereto, rígido, coberto por pêlos, com altura variando de 25 a 120 cm. O forte odor característico da espécie é decorrente das altas concentrações de terpenos voláteis, constituintes do óleo essencial, encontrado especialmente em folhas e inflorescências. Produz cerca de trinta lactonas sesquiterpênicas, sendo o partenolídeo identificado em 1982 no extrato da parte aérea, a lactona sesquiterpênica predominante nessas plantas.

 

Indicações e Ação Farmacológica: Tanacetum parthenium vêm sendo usado na medicina tradicional desde os primeiros séculos para condições anti-inflamatórias e para prevenir a ocorrência de dores de cabeça ocasionadas pela enxaqueca. Tradicionalmente consumida em forma de extrato padronizado ou chá das folhas secas, o Tanacetum parthenium possui um ingrediente ativo denominado partenolídeo (parthenolide).

Toxicidade/Contraindicações: Não é recomendado o uso de Tanacetum parthenium durante a gravidez ou amamentação Dosagem e Modo de Usar -Extrato seco 0,8%: 100 a 120mg, 1 vez ao dia -Pó: 100 – 250mg, 2 vezes ao dia Se a prescrição for em partenolídeo, é necessário aplicar fator de correção em relação ao teor do laudo.

 

Referências Bibliográficas

 

COIMBRA, Raul. Notas de Fitoterapia. 2. ed. Rio de Janeiro: L.C.S.A., 1958. 400p.

 

ALONSO, Jorge. Tratado de fitofármacos y nutracéuticos. 1. ed. Rosario: Corpus Libros, 2004. 1358p.

 

CARVALHO, Luciana Marques de, et al. Crescimento, teor de partenolídeo e de prolina em plantas de tanacetum parthenium (l.) Schultz-Bip crescidas em substrato com diferentes teores de umidade. Acta Scientiarum. Biological Sciences, vol. 27, núm. 1, eneromarzo, 2005, pp. 151-157 Universidade Estadual de Maringá Maringá, Brasil.

© 2018 - medicinacaseira.com.br   

  • Instagram ícone social
  • YouTube ícone social
  • b-facebook
  • Twitter Round
  • b-googleplus